Dr. Drumah por Amanda Tropicana

Dr. Drumah potencializa a produção musical em “Nu-Konduktor”

Com o lançamento do seu 13º disco, Dr. Drumah explora toda a complexidade da sua atuação como produtor musical.

O Rap desde seu nascimento foi construído com uma gama de elementos que trabalham em conjunto. Esse aspecto colaborativo é responsável por definir as bases do gênero, como também pode defini-lo como um aglutinador de diferentes referências e influências. Tendo sua cultura lapidada pela arte do sample, sempre foi possível agregar os mais variados tipos de aspectos e estilos musicais, criando assim uma música altamente técnica e elaborada. Essa é uma das raízes do Hip-Hop e baseando-se nisso Dr. Drumah lançou seu álbum, “Nu-Konduktor“.

Drumah é a alcunha utilizada pelo baterista baiano Jorge Dubman como produtor de beats de Rap. Conhecido pelo seu trabalho com a banda instrumental IFÁ, ele trilhou seu próprio caminho musical em meio aos samplers e drum machines. Seu 13º disco foi lançado em julho de 2021, após uma produção instrumental feita em 3 meses e com a colaboração de gente de peso como de Mauricio Fleury (Bixiga 70, Gal Costa), Junix 11 (Baiana System), Kiko Continentino (Azymuth, Milton Nascimento) e seus irmãos Alberto e Jorge (Forró In The Dark). Como tudo feito durante o caos mundial devido à pandemia do coronavírus, “Nu-Konduktor” foi feito em casa, num contexto de isolamento, mas que possui um repertório que foi construído durante anos na vida do músico. Alguns dos registros remetem a sessões feitas em colaborações carreira afora, com loops de bateria e percussão autorais. A produção do álbum contou com recursos da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc.

Jorge é um Dr. no mais puro significado da palavra. Totalmente meticuloso, ele atua de forma totalmente calculada para realizar de forma coesa seu trabalho como produtor. Sabendo como criar suas batidas, ele usa de seus conhecimentos para formar um alicerce do disco. Tendo essa base feita, ele abre espaço para cada colaboração contribuir de sua maneira, mas colocando-as nas posições corretas. Dessa forma cada um tem suas particularidades potencializadas, fazendo faixas sólidas e que se complementam da maneira correta. Drumah é como um bom técnico de futebol, que conhece do riscado e sabe reconhecer quem divide essa experiência para compor seu time. Esse foi o real objetivo de todo o trabalho, demonstrar a faceta de produtor musical do já baterista e beatmaker.

A inspiração vem dos discos, como sou um colecionador, estou sempre atrás de samples e novas texturas. Com a pandemia eu exerci mais a função de beatmaker e produtor e como a mente sempre está inquieta sempre estou na produtividade. Uma das principais influências foram filmes, por isso ele é tão imagético.

Dr. Drumah.

“Nu-Konduktor” busca uma amplitude enorme, como quem quer expandir horizontes e encontrar coisas totalmente novas. Dubman e seus convidados buscam seguir um caminho vasto, com experimentação e descobertas, mas sem deixar de lado a tradicionalidade. O disco é vivo, orgânico, feito com uma proximidade artística constante entre seus participantes. Sabe aquela essência mencionada no início do texto? Ela está presente no álbum. Com uma instrumentação analógica, mas que busca se enriquecer com elementos diferentes entre si, mas que sob a tutela de um bom produtor, fazem sentido e compõem um universo. Não que durante sua carreira Dr. Drumah tenha se mantido em uma zona de conforto, mas aqui, ele extrai o novo, seja de si ou das participações. Isso tudo faz com que a audição seja uma experiência extremamente prazerosa, seja pela expectativa de descoberta ou pela familiaridade que é sentida em algumas faixas. É um trabalho feito para quem ama o Rap, o Hip-Hop e a boa música como um todo. 

Dr. Drumah por Glauco Neves

Eu sempre adiei fazer um disco assim, mas quando revisitei meus arquivos eu notei que era possível fazer um disco de temas. Aí eu resolvi desaguar todas as minhas referências musicais englobadas ao Hip-Hop. Para mostrar o Jorge Dubman baterista, o Dr. Drumah que pesquisa, que tem uma coleção de discos, que respira isso. Então juntei tudo isso à essência do Hip-Hop. 

Dr. Drumah.

Nessa miscelânea existe um ar de trilha sonora durante todo o disco. Ele não é atoa, afinal, são perceptíveis todos os recortes de falas e trechos de filmes no decorrer das faixas. Esse elemento foi um sintoma da busca por novas características e de também dar uma identidade bem próxima do Rap. Não é um disco de beatmaker, mas de produtor musical que cria um som com temas instrumentais e os manipula, dando uma impressão de serem sampleados. Tudo isso feito de maneira totalmente cirúrgica e minuciosa. O próprio título do álbum transmite esse ideal. “Nu-Konduktor” foi um nome cunhado pelo rapper ganês Blitz The Ambassador, que assim batizou Drumah. Dando luz a sua função como fio condutor de seus projetos, que aqui não é diferente, onde tudo passa pelo artista, seja a escolha de direcionamento, participações e estética.

É muito representativo ter alguém produzindo arte desse calibre, com esse nível de profissionalismo. Utilizando das mais variadas manifestações da cultura negra, Dr. Drumah mostra toda sua ancestralidade que atravessa vários temas. “Nu-Konduktor” atravessa todos os papéis rítmicos e cumpre uma jornada que vai além de um viés rítmico e musical, sendo uma peça de registro histórico. Por meio da música, Jorge Dubman vem ocupando diversos espaços e estabelecendo uma relação muito próxima com seu próprio público. Conduzindo sua própria carreira, ele já lança há um tempo seus discos pelo próprio selo, o Kzah 04 Records. Durante o período de produção de seu novo trabalho, existiu a possibilidade de acompanhar partes dos processos, seja em encontros e oficinas de produção musical de baixo custo. Isso foi uma maneira de realizar ações palpáveis e materiais para uma comunidade de ouvintes e amantes da cultura. O projeto foi realizado pela Twitch, onde houve um encontro entre público e artista para apresentação do projeto no dia de seu lançamento.

“Nu-Konduktor” é mais um trabalho sólido de um dos músicos mais prolíferos que habita o Rap nacional. Além de ser um exemplo de direcionamento de carreira, entendimento artístico e respeito por quem cria e consome. Mesmo em seu 13° disco, a inspiração continua aflorada e demonstra que a cultura Hip-Hop consegue ir muito mais além, independente de seu contexto.

Leia Mais
mazili-bela-kahun-kalamidade (1)
“Crua”: O universo criado por Bella Kahun e Mazili
%d blogueiros gostam disto: