Foto: Os Cinco Fabulosos

Quando o basquete encontrou o Hip-Hop: esporte, música e resistência cultural

De Allen Iverson aos Cinco Fabulosos, saiba como a relação entre Hip-Hop e basquete começou a se construir nos anos 90 e 2000.

Hoje em dia é comum na NBA, e outras ligas de basquete, ter jogadores que rimam, lançam músicas e até mesmo álbuns de Rap.

Alguns exemplos como Damian “Dame  Dolla” Lillard tem álbuns/mixtapes lançados; o eterno Kobe Bryant, no passado, também já se arriscou nas rimas; além de alguns outros jogadores da liga americana de basquete. De forma contrária, temos o rapper J. Cole que recentemente joga profissionalmente em uma liga Africana parceira da NBA.

Mas como será que essa mistura aconteceu? Em que momento da história o Hip-Hop encontrou o basquete, ou vice-versa?

A resposta

Foto: Allen Iverson

Na NBA tudo isso começou com um menino “baixinho”, draftado em 1996 pelo Philadelphia Sixers. Seu nome é Allen Iverson, vulgo “The Answer (A resposta)”. Iv sempre foi fã de Rap, pois, na sua quebrada era esse o gênero musical que o motivava a não seguir o caminho do pai entrando para o mundo do crime e sim, vencer no esporte.

Ele já mencionou em entrevistas que seu “top 5 rappers” são: Pac, Biggie, Andre 3000, Redman e Jay-Z. Além de se inspirar nos rappers, Iv os inspira também. Em 2018, Meek Mill assistiu da prisão o documentário que conta a história de vida do jogador e se emocionou. Aquilo o motivou a sair da cadeia e continuar na música, lembrando que Meek é natural da Filadélfia, cidade onde Iverson se tornou ídolo do basquete.

Foto: Meek Mill e Allen Iverson

O código de vestimenta

Iverson já até tentou lançar um álbum de Rap, mas não foi muito feliz e desistiu. O que deu muito certo, foi uma parceria com o rapper nova iorquino Jadakiss. Eles atuaram juntos em uma propaganda para a Reebok em 2001. Nesse comercial, enquanto Jada rimava sobre um par de tênis que garantia o seu domínio nas quadras, Iverson, além de mostrar sua habilidade com a bola de basquete, apresentava muito estilo com as roupas largas. O foco era o lançamento de seu tênis pela marca Reebok, o Answer V. Essa propaganda foi muito importante, pois introduziu de vez o Rap na NBA e também consagrou a Reebok como a primeira marca de tênis a realmente abraçar a cultura Hip-Hop.

Dali pra frente, camisetas e calças largas, durags, bonés, tatuagens, brincos e correntes, se tornaram bastante comuns entre os jogadores da NBA. Essa cena foi “eterna enquanto durou”, pois, em 2005 a liga criou o ridículo e polêmico “Código de vestimentas da NBA”, onde proibia os jogadores de se vestirem como quisessem. Com a desculpa de que era “anti profissional” usar roupas “inapropriadas” antes dos jogos.

Foto: Allen Iverson

Os Cinco Fabulosos

Allen Iverson foi pioneiro em levar o Rap e o estilo das ruas à NBA, mas antes disso o gênero musical do gueto já estava presente no basquete e influenciando jogadores da NCAA, o basquete universitário dos Estados Unidos. E a primeira equipe a reproduzir isso, mais especificamente no início dos anos 90, foi o time da faculdade de Michigan (Michigan Wolverines) conhecido como “The Fab Five”. Cinco jogadores pretos que vieram dos guetos americanos, Chris Webber, Jalen Rose, Jimmy King, Juwan Howard e Ray Jackson formavam “Os Cinco Fabulosos”.

Eles ganharam ascensão nos anos de 1992 e 1993, pois, além de ser um time talentosíssimo, se vestiam conforme o estilo das ruas, as regatas de jogo eram bem largas assim como as bermudas e meias pretas. Sofreram muito preconceito na época, pois, se nos anos 2000 a NBA quis proibir vestimentas, imagine essa ideia com os times de faculdade nos anos 90.

Mas eles se mantiveram firmes com suas personalidades. Coincidentemente, nessa época o grupo de Rap NWA estava passando por um cancelamento estadual, no qual as pessoas estavam destruindo discos e CDs do grupo como forma de protesto. Em algumas entrevistas para os jornalistas da NCAA, os jogadores do time de Michigan deixavam explícito que viam o grupo de Rap como ídolos: “Nós escutamos a música e nos identificamos com os caras mais perigosos de Compton (NWA)”, risos. 

Tanto o Fab 5 quanto Allen Iverson, foram vice-campeões, um da NCAA (duas vezes) e o outro da NBA (em 2001), mas são vencedores por serem livres e quebrarem uma barreira importante entre esporte e música do gueto. Se hoje LeBron James não é visto como um estranho por ter o corpo todo tatuado e se vestir como bem entender, ele foi influenciado pelos Cinco Fabulosos e o “The Answer”.

%d blogueiros gostam disto: